terça-feira, 31 de março de 2015

As fases do envelhecimento cutâneo

velhice
Oi gente, estava aqui vendo umas fotos e notei como o tempo passa e com ele surgem várias alterações na nossa aparência. Algumas para melhor e outras nem tanto. Vamos falar hoje do envelhecimento cutâneo e suas fases para que possamos tentar amenizar essas alterações.
O maior orgão humano é a pele, por sua constituição fornece proteção contra agentes nocivos, defesa contra a luz solar, termo regulação do corpo, amortecedor de impactos, equilíbrio hídrico e reserva de calorias.
Apesar de sua estrutura ser bem complexa, a pele, tal como todo organismo vivo, passa naturalmente um processo de envelhecimento chamado involução cutânea, que pode variar segundo a faixa de idade:
envelhecimento-precoce-300x109
14 aos 18 anos: Acontece uma produção maior de hormônio que ocasiona mais gordura. Nesta fase, a pele é hidratada, o teor de água é bom e em geral a produção de gordura mais efetiva.
18 aos 25 anos: Ocorre a diminuição do colágeno solúvel da pele. Aos que não sabem, o colágeno, além de dar sustentação à pele, também a hidrata. Já em peles envelhecidas, o colágeno produz pouca água e começa a se tornar indissolúvel.
25 aos 30 anos: A pele reduz a produção de colágeno solúvel de forma mais intensa, inclusive a capacidade de retenção de água.
30 aos 35 anos: Há um decrescimento na produção de sebo e suor. A pele também mostra nítidos sinais de deficiência de água, o que prejudica muito a epiderme, além de reduzir a quantidade de colágeno solúvel. A hipoderme diminui a sua espessura, o que contribui para o surgimento de rugas e sulcos profundos.
35 aos 40 anos: Cai com rapidez a produção de queratinócitos (o processo de formação das células é mais lento), a espessura da epiderme diminui, surgem escamas, rugas na testa, “pés de galinha”, etc.
40 aos 45 anos: Há uma diminuição na espessura da hipoderme, que, somada a uma fragilidade das fibras elásticas e a carência das fibras de colágeno solúveis, determina um grau maior de rugas. Ocorre a involução da arcada dentária, ocasionando o aparecimento de sulcos nasogenianos. Os melanócitos diminuem a produção de pigmentos, surgindo os cabelos brancos.
45 aos 55 anos: As fibras de colágeno ficam ainda mais entrelaçadas e ricas em colágeno insolúvel, a pele torna-se flácida, já que as fibras de elastina também não conseguem manter as tensões necessárias ao bom funcionamento da pele. Os melanócitos reduzem a produção em mais de 80%.
55 aos 60 anos: A desidratação da camada córnea é bastante acentuada. A hipoderme é uma lâmina bem fina e irregular. Os sulcos e rugas aprofundam-se e a pele ganha uma cor acinzentada. A espessura dos lábios é metade da espessura dos 30 anos.
60 aos 90 anos: A circulação sanguínea diminui. A epiderme não acompanha os movimentos da musculatura, tornando-se lentamente um pergaminho. Cai a capacidade de regeneração diante das lesões.
pele-300x127
Bom é isso, espero vocês no próximo post.

Nenhum comentário:

Postar um comentário